Jornal do Povo

Em entrevista exclusiva, Diego Souza esclarece saída em 2008 e revela conversa com ‘velho conhecido’ no Grêmio para o retorno nesta temporada

Depois de 13 anos, Diego Souza está novamente no Grêmio e rescrevendo uma nova história. E, para o seu retorno a Porto Alegre, um jogador, em especial, teve influência direta, além do próprio técnico Renato Portaluppi. Em entrevista exclusiva à Rádio Grenal, o atacante revelou os bastidores.

Capitão do tricolor, Maicon é amigo desde os tempos de infância de Diego e foi justamente o volante do elenco tricolor quem fez o primeiro contato, que posteriormente resultou na chegada do atacante.

“Quem me ligou primeiro para voltar foi o Maicon, como um pedido do Renato. O Maicon é um amigo que tenho no futebol. Eu enfrento ele desde os 11 anos de idade e pude ser companheiro dele no Fluminense. O Maicon me ligou e explicou a situação, possibilidade. Graças a Deus, as coisas deram certo para eu voltar a este grande clube”, declarou o camisa 29, que ainda completou: “Esse cara é fenômeno. Eu não tenho nem como agradecer, e acho que gosto mais dele do que de mim”.

A primeira e última passagem de Diego Souza pelo Grêmio havia sido em 2007. Atuante na campanha do vice-campeonato da Libertadores, o jogador revelou bastidores os bastidores na sua saída em 2008, quando o Benfica recusou a proposta de renovação do empréstimo. “O carinho pelo Grêmio sempre foi muito grande. A minha passagem por aqui era sempre lembrada nos meus melhores momentos. Em 2008, era pra eu ter ficado. Era o meu desejo. Muitos não sabem o que aconteceu em 2008. O Benfica queria o Carlos Eduardo, e envolvia a minha situação. O Hoffeinheim comprou ele, e o presidente do Benfica ficou muito chateado. Falou que não negociaria e que pro Grêmio eu não voltava”. Sem ser aproveitado pelo clube português, o jogador acabou atuando pelo Palmeiras naquele ano.

Mesmo com o pouco tempo vestindo a camisa do Grêmio em 2020 – 8 jogos, o atacante já pode reviver a emoção da disputa do Grenal. E, inclusive, foi o autor do primeiro gol do clássico nesta temporada: “A gente sabe da importância que é esse clássico Grenal. Em 2007, a gente vinha de uma derrota na final da Libertadores. Aquele Grenal era muito importante, e fizemos um jogo muito certinho. Pode valer um refrigerante, mas todo mundo sabe a importância de vencer o Grenal. Ninguém quer perder”.

Momentaneamente, Diego e todo o elenco do tricolor estão em férias até o dia 20 de abril, em virtude da paralisação do futebol por conta do Covid-19.

Reportagem

Reportagem



Publicidade

Escreva um comentário

Siga-nos

Estamos também nas Redes Sociais. Segue a gente lá!!