Connect with us

Colunas

Escrevendo além do mundo – 08/08/2020: Longe do ego, nasce o Amor – Sincronicidade parte II

Suzy Hekamiah

Publicado

on

Jornal do Povo RS - natureza

Sincronicidade é a sua energia de acordo com o Universo.

No Amor, a sincronicidade parte de princípios que se o outro for seu par, ambas as energias deverão estar alinhadas para conviverem juntas. Mas o ego, que afasta e nos faz confusos na ânsia de ter alguém por perto. O ego é sempre o oposto da sincronicidade. E uma das virtudes dos seres da luz é a ACEITAÇÃO. Aceitar não é não lutar, mas lutar, fazer o melhor e entender a linha tênue de que algumas coisas não temos controle, mas atraímos aquilo que está em equilíbrio com a gente. Isso é sincronicidade. Recebemos as coisas no nosso nível, ou quando estamos preparados para evoluir e assim um nível acima ou abaixo para nos ensinar; Mas tudo tem um propósito.

O fato é que na harmonia que surge o duradouro, ou seja, apenas na sincronicidade que atraímos o verdadeiro.

No amor, o primeiro princípio é ter empatia sem pedir nada em troca e quando isso acontece nós nos conectamos para com o Mundo e para com o Universo como essência da matéria que fomos criados. Essa que é a energia cósmica que rege cada Ser e cada elemento no cosmo que todos nós fazemos parte; seja humano, animais, plantas e etc… Quando entendemos o verdadeiro significado do Amor em sincronia, encontramos nosso espaço e aprendemos a respeitar o de outrem, porque é aí que surge uma ligação universal. O Amor é a chave para a harmonia, por isso existem vários tipos de amor e transformações e vários jeitos de amor. Porque cada um pode demonstrar de um jeito, mas não existe amor sem respeito. No amor verdadeiro há a fase de renovações para que quando a harmonia entre dois ou mais seres esteja ameaçada por mudanças, exista a possibilidade de renovação de laços e respeito.
O Amor é fantástico pelo poder de transformar a si mesmo e ao próximo a força da Fonte. Quem partilha do Amor aprende a ser um diferencial para o bem, mas nunca superior e/ou inferior. Pois o Amor genuíno é um estado de espírito intocável pelo egoísmo.

Não há amor verdadeiro quando só há belo, quando o riso é bom, quando a bebida é gelada e as camas arrumadas.

Não há amor verdadeiro quando os planos são resistentes, quando o dinheiro não falta, quando as roupas são caras e a comida não falta. Quando o corpo é firme. Quando a saúde é plena. Quando o outro é apenas um interesse por seus próprios interesses.

O amor vai provando da essência quando o outro já não sabe quem é. Quando o outro se perde, vicia, trama, quando se aprisiona, quando espera uma segunda alma para acalmá-lo. Quando os rumos mudam, quando o luxo não importa, quando a saúde corrompe e o corpo muda. Porque amar é espírito. É zelar, e cuidar faz parte porque a conquista do outro é nosso código com o poder de amar.

Quando a sensatez é a recompensa de ter alguém que se importe conosco da forma que somos. E amar é simplesmente cuidar, custe o que custar.
A conexão universal parte do Amor e esse é o sentido da vida eterna na sincronicidade e da certeza da razão que nascemos. Tudo está interligado e se alguém quer chegar até a Fonte Cósmica, precisa entender o que é amor. Salvar o mundo é reconhecer os outros como alma, como são e mantermos nosso equilíbrio com o Universo.

Continue Reading
Comente

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tendência

Copyright © 2021 Jornal do Povo RS