Connect with us

Poesia e Reflexão

Pelos trilhos da vida – por Romila Amaral

Romila Amaral

Publicado

on

Na engrenagem da nossa passagem, a composição dita as regras do nascer, viver e morrer. As rodas e os eixos de um trem são elementos que os mantém nos trilhos. Pessoas e trens têm algo em comum: as rodas. “Mas como assim? O que nos move é a força interior, já um trem, são as rodas. Humanos não têm rodas.” Temos sim! E andamos por cima dos trilhos.

A vida é breve, passa na velocidade de um trem. Num piscar de olhos oportunidades vêm e vão. Se não estivermos atentos, nossa passagem se resumirá em andar pra lá e pra cá em uma plataforma, no meio de uma multidão de gente sedenta por uma chance. É isso que somos, instantes. Chega um momento em que a roda de ferro começa a perder as forças e as engrenagens produzem um ruído. Nós também passamos por isso, porém as rodas que nos movem não são de ferro, mas sim de carne e osso e o instrumento que produz barulho é a nossa consciência. Seguimos nos trilhos, mas temos o poder da escolha. O trem é programado para andar e parar. Os humanos também.

O combustível que mantém as rodas girando são os sonhos. Sempre queremos algo. Uma família, profissão, casa, automóvel, entre tantas outras coisas que engordam a esperança de acordar, abrir a janela da vida, respirar e correr atrás da pandorga dos devaneios até que tudo se torne realidade.

Temos fome de viver. A busca incessante por conquistar e saborear vitórias garante que nossas rodas fiquem nos trilhos. Um dia elas irão parar, mas até lá precisamos conduzir para que o trem não perca a velocidade. Somos donos da locomotiva do nosso destino.

Imagem: Internet

Continue Reading
Comente

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tendência

Copyright © 2021 Jornal do Povo RS