Jornal do Povo

Poesia e Reflexão – 08/03/2021: “E agora, José?”

Abençoado estava Carlos Drummond de Andrade quando escreveu “José”.

Fiquei lendo o poema e imaginei que neste momento de pandemia somos todos “Josés”, ou Drummond, fazendo inúmeras perguntas para um único “José”. Será que José era o próprio autor, ou ele se referiu ao povo que de tanto ficar preso em sua rotina deixou a vida passar. Sem rumo, destino, segue sei lá para onde. Como se nada mais restasse, como se estivesse sozinho, mas luta e não foge da guerra, sobrevive. Perdido no mundo, mas que mundo?

“ E agora, José?”

A vida mudou, uns sorrindo e outros chorando,

Tem gente partindo e outros ficando,

Tem gente com fome e outros se alimentando,

Tem gente tranquila e outros se desesperando,

Tem gente se cuidando e outros se aglomerando,

E o vírus, cada vez mais forte, segue matando.

“E agora, José?”

Tem gente contrariando e outros se vacinando,

Tem gente em paz e outros brigando,

Tem gente sem ar e outros respirando,

Tem gente sofrendo e outros rezando,

Tem gente em casa e outros na fila esperando,

Esperando por leitos de UTI, mas não tem leito.

“E agora, José?”

Nos dê algum norte, chuva de esperança, rajadas de fé.

Que a gente saia dessa pandemia, muito mais fortes do que entramos, “José.”

Romila Amaral

Romila Amaral

É estudante de Jornalismo da UCS, natural de Caxias do Sul (RS). Apaixonada por poesia e literatura, aos oito anos começou a recitar poemas e não imagina a sua vida longe dos versos. Acredita que o jornalismo e a poesia podem mudar o mundo e a vida das pessoas. Afirma que são a voz daqueles que muitas vezes não podem falar. Os dois se completam. Como declamadora já ganhou alguns prêmios no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.



Publicidade

Escreva um comentário

Siga-nos

Estamos também nas Redes Sociais. Segue a gente lá!!