Connect with us

Colunas

Poesia e Reflexão – 11/01/2021: Quando uma porta se fecha

Romila Amaral

Publicado

on

A derrota tem um gosto amargo. Em um primeiro momento é difícil digerir o insucesso. Conforme o tempo vai passando, oportunidades vão surgindo e começamos a compreender porque o sucesso se fez ausente no passado. Tudo é um aprendizado. A falta de êxito dói, mas nos ensina. Aprendemos a ser mais humildes, esperançosos. Quando uma porta se fecha no mundo externo, não podemos deixar o desânimo correr em nossas veias. É hora de fazer uma faxina na alma, buscar forças para seguir em frente.

Ficar batendo na tecla da derrota é como cavar a própria cova e se enterrar vivo. Quando um ciclo se encerra não significa que estamos chegando ao fim dos tempos. Recomeçar é como renascer. Se no meio da caminhada tiver pedras, chute. Se tiver buracos, desvie. Se tiver mentiras, procure a verdade. Somos donos do nosso destino. Se o fracasso bater na porta, não seja covarde, não fique aflito. Abra, afinal de contas, nem só de vitória vivemos. Abra a porta, mas não espere que ele passe com riso de escárnio por cima de ti. Não tenha medo, sorria. Mostre sua fé, coragem e siga em frente. Dizem que o mundo é dos espertos. Nada disso, o mundo é daqueles que dão a cara a tapa, dos ousados, daqueles que têm apetite de mudanças, de justiça. O mundo é dos corajosos!

Continue Reading
Comente

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tendência

Copyright © 2021 Jornal do Povo RS