Jornal do Povo

Poesia e Reflexão – 15/02/2021: Lar Doce Lar

Podemos viajar e conhecer os lugares mais lindos do mundo, paisagens encantadoras, fazer novas amizades, se aventurar, mas o coração bate mais forte quando chegamos em nosso lar. Sair é bom, mas voltar é melhor ainda.

Quando chego em casa, tenho a sensação de que os dois janelões que estão na entrada, são como um par de olhos cuidando de todos que entram e saem. A porta, funciona como um portal, lá dentro é um outro mundo, me sinto segura, abraçada por aquele corpo feito de concreto e pelos seres de alma linda que dividem o mesmo teto comigo. De dia, o lar é alegre, mas se mantém calado e escuta todas as nossas conver-sas. À noite, o corpo da casa descansa, mas sua alma calorosa vela os sonhos dos que dormem ali.

A casa dança conforme a nossa música, não está alheia às nossas dores, sonhos e vontades. Ela inspira, respira e vive. Cada cantinho do nosso lar tem histórias para contar. Se me perguntassem uma palavra para descrevê-la, sem dúvidas eu responderia: abraço. Ela é acolhedo-ra, une. É como se tivesse uma alma que toca a minha, mesmo que eu esteja distante.

A minha casa é um coração batendo em cima de um terreno. Um poema bonito que guarda as mais belas histórias de uma família.

Não é uma simples casa, é o melhor lugar do mundo. Lar doce lar!

Romila Amaral

Romila Amaral

É estudante de Jornalismo da UCS, natural de Caxias do Sul (RS). Apaixonada por poesia e literatura, aos oito anos começou a recitar poemas e não imagina a sua vida longe dos versos. Acredita que o jornalismo e a poesia podem mudar o mundo e a vida das pessoas. Afirma que são a voz daqueles que muitas vezes não podem falar. Os dois se completam. Como declamadora já ganhou alguns prêmios no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.



Publicidade

Escreva um comentário

Siga-nos

Estamos também nas Redes Sociais. Segue a gente lá!!